EM DIA DE PÁSCOA

5

Podes viver sem máscaras O Sol
é forte e o indiscreto olhar viola
devassa gota a gota o sangue e as lágrimas
A roupa esconde o corpo só o rosto

não tem resguardo Com a própria pele
inventa máscaras de luz e sombra
Onde é que elas acabam principiam
é no mover das rugas no acender

dos olhos Máscaras de ao pé da porta
cumprimentar sorrir fechando a alma
não quero as de enganar nem de mentir

Buscas no espelho as máscaras perdidas
olhas os olhos o franzir da boca
não te afogues no espelho de Narciso

António Borges Coelho
publicado por RAA às 23:46 | comentar | ver comentários (2) | favorito