A NOITE E O HOMEM

Uma lembrança de eternidade
agora mesmo
cristalizada
em mim
rompe a espessa muralha
da noite
fria

Inchado de angústia
descrevo no espaço
um gesto
que voou

Com os pés na terra
não sei onde estou

António José Fernandes
publicado por RAA às 15:49 | comentar | favorito