28
Abr 15

E COM VOCÊS A MODERNIDADE

Meu verso é profundamente romântico.

Choram cavaquinhos luares se derramam e vai

por aí a longa sombra de rumores e ciganos.

 

Ai que saudades tenho de meus negros verdes

anos!

 

Antonio Carlos de Brito,

in Heloisa Buarque de Hollanda, 26 Poetas Hoje (1976) 

publicado por RAA às 18:37 | comentar | favorito
27
Jan 15

REFLEXO CONDICIONADO

Pense rápido:

Produto Interno Bruto

             ou

brutal produto interno

             ?

 

Antonio Carlos de Brito,

in Heloisa Buarque de Hollanda, 26 Poetas Hoje (1976)

publicado por RAA às 13:47 | comentar | ver comentários (6) | favorito
05
Nov 14

JOGOS FLORAIS II

Minha terra tem Palmares

memória cala-te já.

Peço licença poética

Belém capital Pará.

 

Bem, meus prezados senhores

dado o avançado da hora

errata e efeitos do vinho

o poeta sai de fininho.

 

(será mesmo com dois esses

que se escreve paçarinho?)

 

Antônio Carlos de Brito

in Heloisa Buarque de Hollanda, 26 Poetas Hoje (1976)

publicado por RAA às 13:59 | comentar | favorito
14
Out 14

JOGOS FLORAIS I

Minha terra tem palmeiras

onde canta o tico-tico.

Enquanto isso o sabiá

vive comendo o meu fubá.

 

Ficou moderno o Brasil

ficou moderno o milagre:

a água já não vira vinho,

vira direto vinagre.

 

Antônio Carlos de Brito,

in Heloisa Buarque de Hollanda, 26 Poetas Hoje (1976)

publicado por RAA às 13:26 | comentar | favorito
26
Nov 10

HÁ UMA GOTA DE SANGUE NO CARTÃO-POSTAL

eu sou manhoso eu sou brasileiro
finjo que vou mas não vou minha janela é
a moldura do luar do sertão
a verde mata nos olhos verdes da mulata

sou brasileiro e manhoso por isso dentro
da noite e de meu quarto fico cismando na beira de um rio
na imensa solidão de latidos e araras
                                                 lívido
de medo e de amor

Antônio Carlos de Brito
publicado por RAA às 12:50 | comentar | favorito