27
Jul 12

TOTI CADABRA

(Vida e morte severina)

 

        «Toti Cadabra», nome exacto para um

        ser marginal.

        Estes versos são o teu epitáfio;

        depois deles nunca mais falarão de ti.

 

No enterro de Toti

nem padre nem gente

na campa de Toti

nem flor de finado

 

Na campa-buraco

teu corpo mirrado

já eras da larva

bem antes da cova

 

Toti Cadabra

de vida macabra

já eras cadáver

bem antes da morte

 

Bem antes da morte

já eras cadáver

Toti Cadabra

de vida sinistra

 

O grogue e a fome

são traças são bichos

já eras da larva

bem antes da cova

 

No enterro de Toti

nem padre nem gente

na campa de Toti

nem flor de finado.

 

Arménio Vieira

publicado por RAA às 12:40 | comentar | favorito
05
Jun 12

ISTO É QUE FAZEM DE NÓS

                                             Isto!

 

E perguntam-nos:

                                  

                                  -- sois homens?

 

Respondemos:

                                 

                                  -- animais de capoeira.

 

Dizem-nos:

                             

                                 -- bom dia.

 

Pensamos:

                             

                                 lá fora...

 

Isto é que fazem de nós

quando nos inquirem:

                   

                              -- estais vivos?

 

E em nós

 

as galinhas respondem:

 

                               -- dormimos.

 

 

 

ISTO É QUE FAZEM DE NÓS!

 

Arménio Vieira

publicado por RAA às 11:56 | comentar | favorito
14
Out 10

BICHO-GENTE

Numa lamela de sol
uma larva de fome
na fome da hora
uma hora de bicho

(homem ou larva
bicho ou gente?)

Na fome da hora
uma larva estremece
na hora de bicho
um verme apodrece.

Arménio Vieira
publicado por RAA às 15:31 | comentar | favorito