19
Abr 13

NO TÚMULO DUMA CRIANÇA

(De Diodoro)

 

Era perfeitamente um passarinho

Esbelto, saltarico e cantador...

 

               Acolhe-a com carinho,

               Recebe-a com amor,

E sê-lhe levezinha, ó terra mãe!

Pois que tão leve ela te foi também...

 

Augusto Gil

in Cabral do Nascimento, Líricas Portuguesas . 2.ª Série

publicado por RAA às 18:47 | comentar | ver comentários (2) | favorito
15
Out 12

A GOTA DE ÁGUA

A lágrima triste

Que por ti surgiu

Mal que tu a viste,

Quase se não viu...

 

Como quem desiste,

Logo se deliu...

E, mal lhe sorriste,

Logo te sorriu.

 

Já não era a dor,

O sinal aflito

Duma funda mágoa;

Era o infinito

-- O infinito amor

Numa gota de água...

 

Augusto Gil

publicado por RAA às 13:28 | comentar | ver comentários (2) | favorito
16
Jul 12

NO ANIVERSÁRIO DA PAZ

Musa da guerra, que alegrias cantas?

Quem ergue e agita as triunfantes palmas,

Se um espasmo de dor prende as gargantas

E a treva ensombra os corações e as almas?

 

Ainda a vitória não desceu à terra...

Ainda, ainda é um falso nome...

Mas se deliu um torvo espectro -- a guerra,

Aumentou logo o velho espectro -- a fome.

 

Amorteceu o pávido estampido

Das vozes dos canhões, repercutentes,

Mas enche o mundo inteiro outro ruído:

-- Milhões de bocas a ranger os dentes!

 

Há nos tratados expressões de paz,

Mas interroga e brada a multidão:

Que bem nos veio dela? O que nos traz,

Se não nos deu contentamento e pão?

 

Augusto Gil

publicado por RAA às 15:40 | comentar | favorito
09
Set 10

QUANDO AS ANDORINHAS PARTIAM

Boca talhada em milagrosas linhas,
A luz aumenta com o seu falar.

Esta manhã, um bando de andorinhas
Ia-se embora, atravessava o mar.

Chegou-lhes às alturas, pela aragem
Um adeus suave que ela lhes dissera

-- E suspenderam todas a viagem
Julgando que voltara a primavera...

Augusto Gil
publicado por RAA às 17:38 | comentar | favorito