08
Jun 11

NO TÚMULO DE UM ASTRÓNOMO

Amei demasiado as estrelas
do céu nu que percorri a dedo,
para que a noite, onde brilham, belas,
em mim seja surto de algum medo.

Eugénio Lisboa
publicado por RAA às 23:39 | comentar | favorito
26
Jan 11

SECOTINE

Tu eras a graça, a vida,
o golpe brusco de afecto,
elegância desmedida,
o súbito e dilecto
gesto de felino airoso.
Eras a velocidade
encarnada, o gostoso
ir à nossa intimidade,
sem pedir, sequer, licença:
como se tudo que há no mundo
fosse teu -- tua presença
      vinha em nós até ao fundo.
              Tu eras a graça, a vida,
              elegância desmedida.

Eugénio Lisboa
publicado por RAA às 19:46 | comentar | favorito
05
Out 10

A CRIAÇÃO DO MUNDO

O ponto não tem dimensões, disse-o o grego,
assim descobrindo a geometria que havia
antes que houvesse criação: por isso, cego,
mas rigoroso, já tudo se construía.

Eugénio Lisboa
publicado por RAA às 14:10 | comentar | favorito