24
Abr 16

SOLENEMENTE

Juro por tudo quanto é jura... Juro,

por mim... por ti... por nós... por Jesus Cristo

-- que hei-de esquecer-te! Vê-me: estou seguro

contre o teu sólio, a cuja queda assisto.

 

E, visto que duvidas tanto, visto

que ris do que, solene, te asseguro,

juro mais: pelo Ser em que consisto

por meu Passado, pelo meu Futuro,

 

Juro pela Mãe-Virgem concebida;

pelas venturas de que vou no encalço!

por minha vida!... pela tua vida...

 

Juro por tudo que mais amo e exalço!...

...E, depois de uma jura tão comprida,

juro... juro que estou jurando falso!...

 

Hermes Fontes

in Evaristo Ponte dos Santos,

Antologia Portuguesa e Brasileira (1974)

publicado por RAA às 01:08 | comentar | favorito
06
Set 11

POUCO ACIMA DAQUELA ALVÍSSIMA COLUNA

Pouco acima daquela alvíssima coluna
que é o seu pescoço, a boca é-lhe uma taça tal
que, vendo-a, ou vendo-a, sem, na realidade, a ver,
de espaço a espaço, o céu da boca se me enfuna
de beijos -- uns sutis, em diáfano cristal
lapidados na oficina do seu Ser;
outros -- hóstias ideais dos meus anseios,
e todos cheios, todos cheios
do meu infinito amor...
Taça
que encerra
por
suma graça
tudo que a terra
de bom
produz!
Boca!
o dom
possuis
de pores
louca
a minha boca!
Taça
de astros e flores,
na qual
esvoaça
meu ideal!
Taça cuja embriaguez
na via láctea do Sonho ao céu conduz!
Que me enlouqueças mais... e, a mais e mais, me dês
o teu delírio... a tua chama... a tua luz...

Hermes Fontes
publicado por RAA às 14:24 | comentar | favorito