02
Fev 11

GOGH UMA ORELHA SEM MESTRE

1

Atravessados de um lado ao outro
como os colhões de Cristo
à aurora --
corpo em forma de prece
-- para não perderem o seu quê
enquanto as beiças lambuzam o deus
de langonha

O VOSSO DEUS CHEIRA A PEIXE
cheira a maná de 90$ o kilo

Ide à igreja lamber as mamas do Padre!
O-pa-dre!!!? -- com que nojo...

SABEM O QUE VOU FAZER?
Falar! Falar! Por aí falar da sarna das freiras
                 conas podres
           e do cheirete a mijo

Vocês curvados pelos cantos da sacristia
para que vos vão ao rabo
vocês a perorarem cá fora
à luz do sol a que não têm sequer direito
a roubar o espaço às crianças e aos automóveis, e às putas
que vocês bem sabem onde são

O CRISTO ESTÁ ENVERGONHADO
(VOCÊS NÃO SABEM O QUE É)
PENDURADO PELOS PÉS, CUIDADO
O vosso Cristo parece um coelho
O vosso Cristo é um coelho

-- Vou dar-lhe dois socos no cachaço
                     e comê-lo

                    com ervilhas

... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...
... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...

Bem bom este vosso Cristo

Paulo da Costa Domingos
publicado por RAA às 23:38 | comentar | favorito
11
Set 10

...

íamos ali
no intervalo das duas mortes jogava-se
o bilhar
alguns velhos concêntricos moíam apostas baixas
à carambola
ponho talco nas mãos e no taco enquanto
observo resvalar a nota dobrada em quatro sobre o pano
verde
uma visão triangulada às tabelas da cabeceira
com gramsci nietzsche hemingway mal batidos
camurças de 1.ª entre duas novas mortes
também jogava às sortes nas traseiras do prédio
entre gente ordinária no gamão -- tinha 13 anos
depois tanto fazia ganhar com perder

Paulo da Costa Domingos
publicado por RAA às 19:04 | comentar | favorito